Histórico

A antiga residência do Primeiro Presidente da República é atualmente o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes

Formado bacharel pela Academia de Direito de São Paulo, no Largo São Francisco, em 1864, Prudente de Moraes fixou residência em Constituição, atual Piracicaba. Sua vida política foi marcada por mandatos em esferas municipais, estaduais e principalmente federais. De 1894 a 1898 tornou-se o terceiro Presidente da República do Brasil, o primeiro Presidente Civil eleito pelo povo. Após o término de seu mandato presidencial, retornou a Piracicaba, local onde advogou, chefiou as articulações do Partido Republicano Dissidente e faleceu, em 03 de dezembro de 1902, vítima de tuberculose.

A casa adquirida inacabada e concluída em 1870 foi cenário de inúmeros encontros políticos do conturbado período da Proclamação da República. Constava no lote junto à edificação, o seu gabinete e um grande quintal com jardim e pomar com frondosas jabuticabeiras mandado plantar por Prudente de Moraes. Este edifício abrigou após a década de 1930, a Faculdade de Odontologia Prudente de Moraes, o Grupo Escolar Dr. Prudente, a Delegacia de Ensino e, em 1957, o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes. Atualmente o prédio se encontra tombado a Nível Municipal (CODEPAC), Estadual (CONDEPHAT) e Federal (IPHAN). Além do edifício, o acervo correspondente a Coleção Prudente de Moraes encontra-se também tombado pelo IPHAN.

A antiga residência do Primeiro Presidente da República é atualmente o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, passou por recuperação da estrutura física e por uma nova reestruturação museográfica e museológica contemplando a vida pública, política e privada de Prudente de Moraes e a História de Piracicaba retratando importantes fases do município, sua formação, mudanças econômicas e sociais decorrentes do grande desenvolvimento da lavoura e da indústria.

O acervo é eclético reunindo objetos e mobiliários que pertenceram a importantes figuras piracicabanas entre elas Prudente de Moraes, Luiz de Queiroz, João Sampaio, Barões de Serra Negra e de Rezende, Sud Mennucci, Cobrinha, Fabiano Lozano. Há também grandes obras de artistas plásticos piracicabanos e um variado acervo iconográfico e textual.